Adestramento de cães aumenta audiência no Domingão do Faustão

By Dog Dicas on 9 de dezembro de 2010

Betty Lago e o seu Golden Retriever, Chico (foto: Globo.com / divulgação)

Ensinar truques, fazer o cão executar com perfeição comandos de adestramento e ser premiado com um carro 0 km. Esse é o objetivo do quadro Cachorrada Vip, que estreou sua segunda edição no último dia 28/11 no programa Domingão do Faustão.

O quadro reúne seis personalidades do ‘mundo dos famosos’ que, com o auxílio do adestrador André Barreto, têm que treinar seus cães para mostrarem suas habilidades e obediência no menor tempo possível no palco do programa.

Dentre as tarefas a serem cumpridas pelos cães sob o comando de seus donos, estão exercícios de Agility, obediência a comandos como “senta”, “late”, “fica”, “deita”, além de treinamentos semanais intensivos.

Ao ficar com a maior nota da segunda fase da competição no programa do dia 05/11, a atriz Carolinie Figueiredo se emocionou no palco com seu cão Tuffo.

“Ele era teimoso, mal educado, e após um mês de treinamento já está respondendo aos comandos. Quando ele aprendeu a sentar, quase chorei. A gente está bem mais próximo, mudou o comportamento”, contou.

Para Gustavo Leão, ator, participar do Cachorrada Vip está sendo uma das melhores experiências de sua vida. “Ele é inteligente e quando chega nos treinos vai direto para os exercícios. Percebo que ele está mais comportado em casa. A competição está fazendo com que eu conheça mais o meu cachorro, melhorando nossa convivência”, afirmou o dono de Snow.

Julgados por uma equipe composta por atores convidados e um adestrador profissional de cães, os participantes da segunda edição do Cachorrada Vip são: Tande (ex-jogador de vôlei) com seu micro maltês Zack; Gustavo Leão e seu westie Snow; Ellen Jabour e seu vira-lata Pluft; Betty Lago com seu golden retriever Chico; Carolinie Figueiredo com seu poodle Tuffo e Rafael Cardoso com seu golden retriever Elvis (dupla eliminada no último domingo 05/12).

A dupla que mostrar maior entrosamento e obtiver as melhores notas em decorrência de truques executados com perfeição e de obediência ao maior número de comandos será premiada ao final da atração com um carro 0 km. As vencedoras da primeira edição do quadro, em 2009, foram a cadela Manu e sua dona, a atriz Fiorella Mattheis.

Victoria Stilwell é referência no método da recompensa

By Dog Dicas on 24 de novembro de 2010

Victoria Stilwell
Victoria Stilwell é contra técnicas de dominância e defende que cães não devem ser punidos (foto: reprodução / internet)

Na atual era da sociedade midiática, assistir semanalmente à programas internacionais de reality shows para aprender a educar cães corretamente já faz parte do cotidiano de milhões de pessoas. Mas você conhece Victoria Stilwell, a ‘supernanny’ dos cães indisciplinados?

Reconhecida mundialmente por sua metodologia de treinamento que utiliza o reforço positivo, Victoria Stilwell é treinadora de cães e apresentadora do programa ‘Ou Eu ou o Cachorro’ cuja transmissão, no Brasil, acontece no canal GNT.

Nascida em 1969, em Wimbledon (Inglaterra), Victoria iniciou sua carreira em 1990, quando, ao criar sua própria Cia. de cães de passeio, percebeu a dificuldade dos treinadores em educar os cães com um método bem sucedido. Posteriormente, ainda em Londres, Victoria fez diversas participações em filmes, séries de TV e comerciais e, simultaneamente, iniciou seus estudos sobre treinamento de cães pela aprendizagem do reforço positivo com renomados behavioristas da Grã-Bretanha. A treinadora mudou-se para os Estados Unidos (New York) em 1999 e trabalhou como consultora comportamental em diversas organizações de resgate animal ministrando palestras e seminários de resgate, formação e reabilitação de cães.

O reforço positivo mostra ao cão como se comportar e de que forma se comportar bem traz prazer

Admirado e seguido por milhões de profissionais e proprietários de cães, seu método de educação canina é embasado no reforço positivo de treinamento, que, por meio de petiscos e agrados, mostra ao cão que atitudes positivas têm recompensa, e combate, veementemente, a dominância, a agressividade e a punição diante de maus comportamentos do animal.

“Muitos comportamentos negativos de nossos cães acontecem porque eles vivem sob as regras de nossa casa, estranhas aos animais, e acabam desenvolvendo problemas como estresse, ansiedade e insegurança. Se você punir esse animal, poderá fazê-lo se comportar de forma ainda pior e incentivá-los a se tornarem agressivos. O reforço positivo mostra ao cão como se comportar e de que forma se comportar bem traz prazer”, explica Victoria.

Além disso, Victoria também é autora do livro “Ou eu ou o cachorro” (Panda Books, 2009) e criadora do licenciamento para adestradores adeptos do reforço positivo, que permite que, ao acessar seu site, os donos de cães saibam onde há adestradores que utilizam sua metodologia.

Atualmente, Victoria mora em Atlanta com seu marido, sua filha e seu cão Sadie.

3 regras para a escolha do nome do seu cão

By Dog Dicas on 19 de outubro de 2009

Filhote cachorro
O nome de um cão será pronunciado cerca de 35.000 vezes ao longo da vida (foto: Hungriger Hugo / Flickr)

Esqueça qualquer palavra de comando. A palavra mais importante na vida do seu cão é o seu próprio nome.

Dentre os vários sons emitidos por nós, o nome é o código fonético único, utilizado para identificar o alerta da sua atenção. Seu cão será capaz de detectar sua pronúncia, mesmo em meio aos mais diversos ruídos e sons. E isso será importante, pois você dirá seu nome várias vezes.

Ao longo da vida, um cão é chamado aproximadamente 35.000 vezes. Pense nisso quando for escolher um nome para ele. Você gostaria de ser chamado de ‘Fofucho’ por mais de 10 anos?

Então seguem aqui, 3 regras fundamentais para a escolha de um bom nome.

1. Escolha um nome curto (uma ou duas sílabas)

Um nome curto é mais fácil para o seu cão aprender e lembrar. Quanto mais curto o nome, mais fácil a resposta do seu cachorro. Nomes como ‘Skip’ ou ‘Rock’ são uma boa escolha. São simples, curtos e fáceis para seu cão reconhecer.

Porém se você prefere um nome um pouco maior, vá em frente. Mas evite a todo custo nomes com mais de 3 sílabas. Lembre-se ‘Worcestershire’ pode parecer imponente, mas além de longo e difícil, fará você perder um tempo enorme e valioso até conseguir pronunciá-lo, dando muita margem para dispersão.

2. Não utilize um nome que se pareça com palavras de repreensão

Um cão reconhece seu nome pelo final da palavra. Então se o nome do seu cão for ‘Anão’, ‘João’ ou ‘Tião’, a confusão com a palavra ‘não’ será inevitável. Assim, seu cão associará o chamado do seu nome a uma situação de negação, tensão ou impedimento. O que não é bom.

Também é necessário cuidado com nomes que se pareçam com comandos, como por exemplo ‘senta’, ‘deita’, ‘pega’, etc. Ou ainda, com palavras muito comuns, o que fará seu cão perder o estalo da resposta pela quantidade de vezes em que o som do seu nome foi emitido em vão.

3. Não utilize um nome que ridicularize o seu cão

Não faça as pessoas julgarem seu cão. Alguns proprietários não consideram a importância dessa regra. Mas se as pessoas ouvirem você chamar o seu cão pelo nome de ‘Boboca’, imediatamente farão um julgamento inconsciente sobre a personalidade dele. E apesar do cão não entender o significado da palavra ‘Boboca’, certamente entenderá o sentimento de ridicularização sobre ele.

Lembre-se: É preciso que além de entendê-lo como um chamado particular, o cão goste do seu nome e das consequências de sua pronúncia.

Depois de ter escolhido o nome, uma boa dica é testá-lo. Experimente-o por um dia ou dois. Você saberá imediatamente se é um nome sustentável, ou não.