Comida fresca e boa pra cachorro

By Dog Dicas on 21 de outubro de 2011

Pet Delícia
Pet Delícia – quatro tipos de sabores em embalagens de 100 e 200 gramas: frango, carne, cordeiro e frango para filhotes (foto: Pet Delícia)

Uma marca brasileira exclusiva para cães que oferece pratos saborosos preparados cuidadosamente com alimentos cozidos, sem conservantes ou corantes e com suplementação de vitaminas e minerais. Essa é a “Pet Delícia – Cozinha com Amor”, cujas instalações e escritório central, inaugurados no final de 2010, ficam em Copacabana, no Rio de Janeiro.

De propriedade do casal Roberta Camara e Jorgen Dehlbom, a Pet Delícia – a primeira ração fresca do Brasil – está presente em várias cidades, como São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Florianópolis e Curitiba. E tamanho sucesso é a materialização do sonho de um sueco que trabalhava com investimentos na bolsa de valores de Nova York, mas viu nas receitas que preparava para seus cães uma oportunidade de negócios.

“Na Suécia é tradição ingerir alimentos naturais. Minha família sempre teve restaurantes e meus avós cozinhavam todos os dias para nossos pastores alemães. Desse modo, eu cresci numa família onde isso era natural e, consequentemente, quando vim para o Brasil trouxe comigo esse costume sueco”, conta Dehlbom.

Segundo o empresário, tudo começou com as tentativas dele e da esposa em encontrar as receitas naturais adequadas para seus cães que despertaram o interesse dos amigos e pessoas próximas.

“Fazíamos vários testes até descobrir as receitas ideais para nossos cães: saborosas e nutritivas. Assim, nossos amigos começaram a se interessar pela idéia e, então, decidimos largar nossos empregos para passar a comercializar nossas receitas. Convidamos especialistas em nutrição de animais para elaborar as fórmulas e fazer testes e assim surgiu o Pet Delícia”, disse.

Atualmente, a marca possui quatro tipos de sabores em embalagens de 100 e 200 gramas: frango, carne, cordeiro e frango para filhotes. Além disso, também são comercializadas embalagens de 900 gramas de alimentos congelados para que os proprietários possam servir em casa a alimentação natural para os cães. Mas, se os donos têm dúvidas se os cães aprovarão ou não as delícias naturais, o escritório central da Pet Delícia, em Copacabana, oferece também degustação das comidas frescas para que o animal experimente as diferentes texturas e sabores.

O diferencial da Pet Delícia, de acordo com Dehlbom, é que todos os pratos são preparados com alimentos naturais, frescos, sem conservantes nem corantes e possuem alta digestibilidade e palatabilidade. A marca realiza, ainda, a campanha Carne Legal, que consiste na utilização apenas de carnes bovinas oriundas de gados criados em fazendas que seguem a legislação ambiental, social, trabalhista e fundiária.

Pet Delícia
Pet Delícia – pratos frescos e saborosos preparados exclusivamente para cães (foto: Pet Delícia)

Para preservar os nutrientes, matar os microorganismos e tornar os pratos mais saborosos, todos os ingredientes são cozidos em fogo brando. Para assegurar as informações do rótulo das embalagens comercializadas, logo após o cozimento realiza-se a pesagem e, somente então, os ingredientes são misturados.

Outro fator que garante o sabor e a qualidade dos alimentos da Pet Delícia, segundo seus proprietários, é o fato dos alimentos serem feitos em pequenos lotes e congelados num freezer rápido para evitar a formação de cristais d’água na refeição.

“Achamos muito importante que os donos reflitam sobre o custo-benefício desse tipo de alimentação natural para os cães. Muitas pessoas reclamam do trabalho para se dar um alimento natural para os animais, mas se esquecem que isso traz inúmeros benefícios para a saúde deles. Nossa experiência nos mostra que os cães realmente gostam da comida que preparamos e isso é muito gratificante”, destaca o empresário.

Mais informações sobre a Pet Delícia podem ser obtidas pelo e-mail contato@petdelicia.com.br ou pelo telefone (21) 2236.4493.

Programa natural para cães obesos

Quem pensa que a Pet Delícia se preocupa apenas com os cães em forma está muito enganado. Levando-se em consideração o fato de que muitos cães sofrem com a obesidade, a marca possui também o Programa individualizado para Cães Gordinhos.

Ao invés de oferecer alimentos light, a Pet Delícia possui em sua sede zootecnistas e veterinários que, juntamente com o dono e o veterinário do animal, desenvolvem um programa específico para cada cão que proporciona maiores chances do animal emagrecer e continuar saudável a longo prazo.

“Nós acreditamos que é necessário mudar os hábitos dos cães e dos donos num tempo maior – de 6 a 12 meses – para que o emagrecimento não seja algo temporário. Assim, esse programa é todo estruturado para que essa meta seja alcançada com sucesso”, ressalta o proprietário.

O Programa atende cães de todo o Brasil e os interessados podem obter mais informações pelo e-mail ana@petdelicia.com.br.

Novo conceito traz reformulação das rações DogChow

By Dog Dicas on 14 de junho de 2011

Ração para filhotes Purina DogChow
O novo aspecto visual das embalagens da Purina DogChow (foto: Nestlé Purina)

Todos nós sabemos o quanto é importante alimentarmos nossos cães adequadamente, com uma dieta equilibrada, saudável, saborosa e adequada para cada fase da vida de nossos melhores amigos. E, é claro, para isso não medimos esforços e cuidamos da alimentação de nossos cães assim como fazemos com os membros de nossas famílias.

Pensando nisso, é que a Nestlé Purina, presente em 75 países, lançou recentemente um novo conceito para a linha de alimentos DogChow: “Ele é mais que um cão, é parte da família”.

Definido após uma pesquisa com mais de 4 mil proprietários de cães e gatos, cujos resultados demonstraram que a preocupação dos donos com a alimentação dos animais de estimação é a mesma que com os demais membros da família.

O novo conceito da marca DogChow Nutrição + Vida Saudável chegou no começo de junho ao mercado brasileiro – composto por cea de 32 milhões de cães, segundo dados de 2010 da Associação Nacional dos Fabricantes de Alimentos para Animais de Estimação (ANFAL) – com novo aspecto visual das embalagens, que vêm com cores marcantes e com mais informações sobre nutrientes, idade e porte do cão.

Além disso, de acordo com a fabricante, a DogChow Nutrição + Vida Saudável, apresentada em sete tipos de alimentos secos, teve sua composição nutricional enriquecida para auxiliar o desenvolvimento do sistema imunológico nos filhotes, melhorar as funções orgânicas e o funcionamento de órgãos como o pulmão e o coração e ainda servir como um alimento completo para a saúde de cães e gatos com idade acima de 7 anos.

Ainda segundo a Nestlé Purina, cuja fábrica fica em Ribeirão Preto (SP), a DogChow Nutrição + Vida Saudável será sua primeira marca a ingressar nas redes sociais. A previsão é de que até o final do mês de junho a DogChow Nutrição + Vida Saudável já esteja com perfis ativos no Orkut, Twitter e Facebook.

Alimentação e nutrição do cão

By Fernanda Martins on 19 de outubro de 2009

Quem nunca ficou tentado em dividir a comida com seu cão? Essa vontade sempre aparece quando vemos aqueles olhos pedintes. Mas cuidado! Os cães possuem características metabólicas e fisiológicas próprias e reagem de maneira diferente aos alimentos que nós consumimos. Um exemplo de efeitos nocivos causados por nossos alimentos nos cães é o chocolate. Ele contém uma substância chamada Teobromina (composto da família da cafeína) que, no cão, pode causar intoxicação ou até mesmo matá-lo.

A alimentação tem influência direta nos cães, agindo de forma diferente, em cada etapa da sua vida. Vamos a elas:

Para os filhotes é de extrema importância a ingestão de colostro nas primeiras 24 horas de vida. Ele contém os anticorpos maternos que os protegerão contra infecções nas suas primeiras semanas de vida. Os filhotes devem mamar de quatro a seis vezes por dia. Com três a quatro semanas eles já começam a se interessar por alimento sólido e iniciam o desmame. Atenção pois o desmame não deve ser feito antes de completarem 40 dias de vida. Devido ao seu desenvolvimento acelerado, os filhotes possuem aproximadamente o dobro das necessidades energéticas de um adulto. Também precisam de mais proteínas, e, segundo a Association of American Feed Control Officials (AAFCO), em condições normais não se deve oferecer uma dieta com quantidades excessivas de cálcio e fósforo, pois as rações comerciais para filhotes já contém a quantidade necessária desses elementos.

Para os filhotes a dica é que, nos seis primeiros meses, os cãezinhos precisam de três a quatro refeições por dia, pois é nesse período que ocorre o crescimento mais rápido e aumentam as necessidades de nutrientes e energia. A partir dos seis meses, as necessidades diminuem à medida que o crescimento se torna mais lento, e apenas duas refeições por dia são suficientes.

O adulto necessita de uma dieta equilibrada e nutricionalmente completa para suprir suas necessidades diárias (dieta de manutenção). O alimento, ração ou comida caseira, deve ser balanceado para que não haja risco de obesidade ou deficiência de algum elemento.

Ração comercial (foto: stock.xchng)
Ração comercial (foto: stock.xchng)

A dica mais importante para os adultos é observar a quantidade de ração que deve ser consumida diariamente, seguindo a recomendação do fabricante fornecida na embalagem, de acordo com a raça ou tamanho do cão. Se o alimento fica disponível ao cão durante todo o dia, é mais difícil saber precisamente o quanto está sendo ingerido. Nos casos de acesso livre à comida, alguns cães podem ficar obesos, e outros podem ficar subnutridos, principalmente se houver relações de competição e/ou dominância com outros cães no mesmo ambiente.

No animal idoso a taxa metabólica é menor e as necessidades energéticas diminuem cerca de 30 a 40%. Nessa fase, o alimento deve ser de fácil digestão e com proteínas de alta qualidade. Existem no mercado diversos tipos de rações específicas que atendem todas as exigências dessa faixa etária. Se houver alguma enfermidade, uma ração terapêutica deve ser fornecida.

Para os idosos as dicas mais importantes são: prevenir a obesidade usando um esquema de alimentação em quantidades controladas; estabelecer exercícios moderados e regulares; e ter cuidado maior com os dentes e gengivas.

Situações especiais da vida do cão:

Gestação: nessa fase devem ser oferecidas refeições com alta digestibilidade, ricas em energia e nutrientes. Vale lembrar a importância de não superalimentar as cadelas prenhes, pois excesso de comida pode gerar filhotes pesados e problemas na hora do parto. O acréscimo de peso ao final da gestação deve ser de 15-25%. Após o parto a cadela deve ter 5-10% além do seu peso normal, para passar pelo desafio da amamentação sem que haja perda acentuada de peso. A dica para a gestação é que, até a quinta ou sexta semana não se deve aumentar a quantidade de comida, e no fim da gestação, a cadela deve comer várias pequenas porções ao longo do dia, uma vez que os fetos já estão grandes e ocupam bastante espaço na cavidade abdominal. Não estranhe se a cadela só quiser se alimentar 12 horas após o parto, este é um comportamento normal.

Amamentação: o fator nutricional mais importante é um suporte energético adequado para que haja produção suficiente de leite sem acarretar grande perda de peso e, ingestão de água para assegurar o volume de leite produzido. A dica durante a lactação é oferecer uma quantidade duas a três vezes maior de alimento para suprir o aumento da necessidade energética. Nesse período a dieta deve ser rica em nutrientes e altamente digestiva. O alimento deve ser oferecido várias vezes ao dia, ou deixar que a cadela tenha acesso livre à comida. Quando os filhotes começarem a comer alimentos sólidos, a quantidade de comida oferecida à mãe pode ser gradualmente reduzida.

No dia-a-dia apressado em que vivemos uma boa opção de alimentação para os cães são as rações comerciais, pois contém os nutrientes necessários nas quantidades corretas, além de serem muito práticas. Atualmente no mercado pet existem vários tipos de rações para diversas finalidades e fases da vida do cão, até mesmo para aqueles que precisam de dietas especiais, como nos casos de alergias alimentares ou problemas hepáticos e cardíacos. Para o cão, a hora da alimentação é um momento de socialização uma vez que seus ancestrais caçavam e se alimentavam em grupo. Aproveite esse momento para aumentar e melhorar a interação e amizade com seu cão. Lembrando que os petiscos e “agradinhos” devem ser específicos para cães e que não podem ser oferecidos em excesso e sim como recompensa!